fbpx

Água está menos espalhada em Marte do que se pensava – Planeta

Água está menos espalhada em Marte do que se pensava   Planeta

Água está menos espalhada em Marte do que se pensava Planeta

Cratera Gale, onde o rover Curiosity pousou: provavelmente há salmoura lá. Crédito: Nasa/JPL-Caltech/ASU/UA

A água em Marte, na forma de salmouras, pode não ser tão difundida como se pensava, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores do Centro de Ciências Espaciais e Planetárias de Arkansas, da Universidade de Arkansas (EUA). O trabalho foi publicado no periódico “Planetary Science Journal”.

Os pesquisadores combinaram dados sobre as taxas de evaporação da salmoura, coletados por meio de experimentos na câmara de simulação do centro de Marte, com um modelo de circulação do clima global para criar mapas de todo o planeta mostrando onde é mais provável encontrar salmouras.

Salmouras são misturas de água e sais mais resistentes à ebulição, congelamento e evaporação do que a água pura. Descobri-las tem implicações para onde os cientistas procurarão por vida passada ou presente em Marte e onde os humanos que viajarem para o planeta poderão procurar água.

Todas as fases ao mesmo tempo

Os cientistas levaram em conta todas as principais mudanças de fase dos líquidos – congelamento, ebulição e evaporação. Antes, costumava-se considerar apenas uma única fase, disse Vincent Chevrier, professor associado da Universidade de Arkansas e primeiro autor do estudo.

“É ver todas as propriedades ao mesmo tempo, em vez de uma de cada vez”, observou Chevrier. “Então, construímos mapas levando em consideração todos esses processos simultaneamente.”

Isso indica que estudos anteriores podem ter superestimado quanto tempo as salmouras permanecem na superfície na atmosfera fria, fina e árida de Marte, disse Chevrier. “A conclusão mais importante é que, se você não considerar todos esses processos juntos, sempre superestimará a estabilidade das salmouras. Essa é a realidade da situação.”

As condições favoráveis ​​para salmouras estáveis ​​na superfície do planeta tendem mais a estar presentes em latitudes médias a altas do norte e em grandes crateras de impacto no hemisfério sul, disse ele. No subsolo raso, salmouras podem estar presentes perto do equador.

Na melhor das hipóteses, as salmouras podem estar presentes por até 12 horas por dia. “Em nenhum lugar existe salmoura estável para um dia inteiro em Marte”, disse ele.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA + Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus + Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas + 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança