fbpx

Dirigimos o novo Sentra | Revista Carro

Dirigimos o novo Sentra

Dirigimos o novo Sentra

Quando iniciou as suas operações no país, a Nissan tinha dois objetivos principais: tornar-se conhecida e ampliar a sua participação no mercado, apostando em modelos de volume. Por meio de anúncios comerciais irreverentes, ela cumpriu a primeira meta. A segunda ficou a cargo dos compactos March e Versa e foi igualmente bem-sucedida.

Chegou a vez, então, de renovar os sedãs maiores da gama. O luxuoso Altima vem em novembro, mas agora já está chegando às lojas a nova geração do Sentra. A Carro Online teve contato com o modelo durante a conferência mundial da marca, realizada na Califórnia.

Dirigimos o Sentra SL americano, equipado com motor 1.8  de 130 cv e câmbio CVT (continuamente variável), que prioriza o conforto ao dirigir. Apesar disso, o conjunto mostrou bom desempenho no trânsito urbano e na estrada. – Publicidade –

O Sentra usa a nova geração do câmbio, que, segundo a Nissan, apresenta ajustes inéditos e 60% de componentes novos. De acordo com a fabricante, a nova caixa é 13% mais leve e produz 40% menos atrito em comparação com o modelo anterior. Com isso, desempenho e consumo de combustível foram aprimorados.

O CVT, aliás, estará na maioria das versões — apenas a configuração de entrada deve ter câmbio manual, de 6 marchas. A direção com assistência elétrica, que costuma ser um tanto lenta em outros modelos da marca, recebeu uma calibragem diferente e atua melhor: o volante torna-se mais leve nas manobras de estacionamento e mais firme em velocidade.

A suspensão traz a mesma combinação da maioria dos concorrentes — independente na dianteira e eixo de torção atrás — e mostrou-se eficiente. Amortecedores de resposta rápida, ajudam a estabilizar a carroceria rapidamente quando o veículo passa por pisos irregulares.

Para o Brasil, o sedã ainda receberá ajustes específicos para lidar com as características (entenda-se imperfeições) do piso nacional. Outra importante diferença estará sob o capô: o Sentra contará com um motor 2.0 16V flex de 140 cv e 20 mkgf de torque. Ainda assim, será inferior a concorrentes como Honda Civic e Toyota Corolla, com mais de 150 cv.

O motor recebeu alterações no cabeçote e nos pistões, e o sistema de injeção foi recalibrado. O sedã também passa a contar com sistema Flex Start, que dispensa o uso de gasolina nas partidas a frio. Segundo a Nissan, o novo Sentra obteve nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), do Inmetro. – Publicidade –

O acabamento interno está mais requintado e traz o padrão usado no Altima. A versão avaliada contava com rodas de liga leve 17”, grade cromada e faróis e lanternas com LEDs.

O conforto não é só prioridade no estilo de condução, mas também uma vantagem na cabine — o que, certamente, agradará ao consumidor mais familiar.

O Sentra ganhou 15 mm de entre-eixos e outros 58 mm no comprimento, o que ampliou o espaço na cabine. No banco traseiro, três adultos viajam com uma boa área para pernas e cabeças.

O ar-condicionado é digital, do tipo Dual Zone, já a partir da versão intermediária SV. Importado do México, o modelo terá preço máximo de R$ 71 990, na configuração topo de linha, a SL. Os preços das demais versões, porém, não foram divulgados.

O novo Sentra é bastante superior ao anterior, mas ainda lhe faltam atributos para desbancar os líderes do segmento.Sem falar no renovado Ford Focus.

 

Nissan Sentra SL (versão americana) Motor 4 cilindros, dianteiro, transversal, gasolina; Cilindrada 1 798 cm3; Cabeçote 4 válvulas por cilindro; Potência 130 cv; Torque 17,7 mkgf; Câmbio CVT, continuamente variável; Tração dianteira; Rodas liga leve, aro 17”; Comprimento 4,62 m; Largura 1,76 m; Altura 1,49 m; Entre-eixos 2,70 m; Suspensão dianteira independente; Suspensão traseira eixo de torção; Porta-malas 427 l; Peso 1 293 kg.