fbpx

Audrey Hepburn: Hollywood comemora 50 anos de Bonequinha de Luxo, com HD – Só Notícia Boa

Audrey Hepburn: Hollywood comemora 50 anos de Bonequinha de Luxo, com HD   Só Notícia Boa

Audrey Hepburn: Hollywood comemora 50 anos de Bonequinha de Luxo, com HD Só Notícia Boa

audrey-1audrey-1

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood celebrará os 50 anos da estreia do clássico Bonequinha de Luxo, Breakfast at Tiffany’s, com uma versão restaurada do filme em formato digital,  informou a Academia.  A exibição será no dia 29 de julho, no teatro Samuel Goldwyn, em Beverly Hills, Estados Unidos. O clássico, protagonizado por Audrey Hepburn e George Peppard, estreou no dia 5 de outubro de 1961 em Nova York, cidade onde acontece a história de amor entre os personagens.O drama encanta até hoje e a beleza atual de Audrey Hepburn ainda surpreende. Veja: 

 

Andréa, minha mulher, é fã de Audrey e escreveu:Em dias de puro saudosismo revi o filme “Bonequinha de Luxo” ou Breakfast at Tiffany’s . Eu não sei explicar a magia, que não está no glamour. Por incrível que pareça o encanto está na simplicidade.Simples e ao mesmo tempo sofisticado, e mais uma vez não é pelo estilo impecável de Audrey no longa-metragem, com óculos escuros grandes, vestidos da Givenchy, pérolas e boquilha para fumar cigarros que deu o tom da moda nos anos 60.A garota da Tiffany’s ensaiava ser fútil, mas era independente, eu diria autosuficiente, mesmo sendo fanática por festas de alta sociedade, sustentada por homens ricos o que a tornava de fato uma garota de programas de luxo. Tudo isso até encontrar o escritor Paul ou “Fred”, sustentado pela amante, e que a vira do avesso, com seu charme, e faz Holly se encontrar com o seu passado e a sua verdade. Quando faz isso ela se apaixona e daí vira um conto de fadas com final feliz.Pra mim a melhor cena é quando Holly, despojada do glamour, toca seu violão (Audrey toca mesmo na cena acima). E com uma doçura, cantando Moon River . Não canso de rever.O filme teve cinco indicações ao Oscar. Levou as estatuetas de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção, por Moon River, criada por Henry Mancini. É uma adaptação do romance homônimo escrito por Truman Capote eAlguns elementos da personagem Holly no livro de Truman Capote, como sua suposta bissexualidade, foram omitidos no filme, na intenção de tornar a personagem mais adequada para Audrey Hepburn.Além disso, diversas passagens do livro não constam no filme, como a época em que ela divide apartamento com Mag Wildwood. O personagem do escritor também foi bastante modificado do livro para o filme, sendo que, na obra escrita por Capote, ele era homossexual e não contava com suporte financeiro de nenhuma amante.Sem dúvida, a atuação de Audrey é ímpar. Com a delicadeza peculiar e tem muito da própria vida dela. Belga e nascida em berço de ouro, Audrey Kathleen Ruston era filha de um banqueiro e de uma baronesa, daí a explicação para a sua elegância natural. E vou além: ela tinha uma nobreza de alma também . Durante a Segunda Guerra passou fome e teve que se reinventar pra sobreviver. Queria ser bailarina, mas foi recusada e partiu para ser corista na Broadway e foi aí que a decepção se transformou em sonho. Audrey fez seu primeiro filme com Gregory Peck e ainda levou o Oscar.Na luta por melhores condições foi Embaixatriz da Unicef e viajou por muitos países, no trabalho de ajuda humanitária. Morreu aos 63 vítima de câncer. O último papel foi uma participação em Além da Eternidade. Audrey Hepburn é a terceira maior lenda feminina do cinema. Pra mim, ela é a primeira.(Andréa Fassina)