fbpx

Viñales comanda trinca da Yamaha no primeiro treino no frio de Aragão. Mir fica em sexto

Viñales comanda trinca da Yamaha no primeiro treino no frio de Aragão. Mir fica em sexto

Viñales comanda trinca da Yamaha no primeiro treino no frio de Aragão. Mir fica em sexto

Maverick Viñales foi o mais rápido nesta manhã Maverick Viñales foi o mais rápido nesta manhã Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Maverick Viñales começou o fim de semana do GP de Aragão com o pé direito. Em uma manhã fria e de muitas quedas, o espanhol conseguiu se impor no primeiro treino livre desta sexta-feira (16) e puxou um 1-2-3 da Yamaha.

saiba mais

Com a melhor de 17 voltas em 1min49s866, Viñales assegurou a liderança em Aragão com apenas 0s085 de margem para Franco Morbidelli, o segundo colocado. Líder do Mundial, Fabio Quartararo sofreu uma queda nos instantes finais da sessão, mas ficou com o terceiro posto.

Maverick Viñales liderou a manhã em Aragão Maverick Viñales liderou a manhã em Aragão Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Vindo de um pódio em Le Mans, Álex Márquez colocou a Honda no quarto posto, 0s310 mais lento que o ponteiro, apesar de também ter se acidentado. Takaaki Nakagami completa um top-5 coberto por 0s554.

Vice-líder do Mundial, Joan Mir fez a melhor de 19 voltas em 1min50s425 e ficou com o sexto posto, escoltado por Pol Espargaró, Cal Crutchlow, Álex Rins e Aleix Espargaró.

As Ducati tiveram uma manhã espantosa no traçado de Teruel. Jack Miller ainda melhorou no final e ficou em 12º, mas Danilo Petrucci foi só 15º, com Andrea Dovizioso em 17º e Francesco Bagnaia em 21º e último.

Valentino Rossi não vai participar do GP de Aragão deste fim de semana. Na quinta-feira, o piloto anunciou que testou positivo para Covid-19 e, por isso, cumpre isolamento. O piloto da Yamaha apresentou sintomas como febre e dores no corpo.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de Aragão, 11ª etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Saiba como foi o treino livre 1 da MotoGP no MotorLand:

O dia em Aragão começou bastante frio. Com o céu parcialmente nublado, os termômetros mediam apenas 10°C, com o asfalto chegando só a 9°C. A velocidade dos ventos era de 16 km/h.

Por conta das condições, a direção de prova optou por adiar o início da primeira sessão livre em 25 minutos. A frio dificulta o aquecimento dos pneus, o que causa muitas quedas.

Quando a sessão finalmente começou, Takaaki Nakagami abriu os trabalhos no topo da tabela, mas logo foi substituído por Franco Morbidelli, que anotou 1min52s704.

O ítalo-brasileiro logo deu lugar a Pol Espargaró, que tomou a ponta com 0s018 de margem para Quartararo. Morbidelli caiu para terceiro, seguido por Crutchlow e Zarco.

Com cerca de dez minutos de sessão, Johann Zarco perdeu a frente da Ducati na curva 14 e caiu. Apesar do susto, o francês não se feriu com seriedade e voltou de carona aos boxes da Avintia.

Enquanto isso, Pol foi a 1min50s880 para manter a ponta, mas perdeu a liderança após Quartararo virar 0s203 melhor. Iker Lecuona tinha o terceiro tempo, escoltado por Álex Márquez e Brad Binder.

Com um pneu macio na frente e um médio atrás, Morbidelli foi 1min50s533 e reassumiu o comando do TL1, 0s144 melhor que Quartararo. Pol Espargaró aparecia em terceiro, com Maverick Viñales fechando o top-4.

Morbidelli foi ainda mais rápido na sequência e manteve a ponta da tabela, agora 0s244 melhor que o companheiro de SRT Yamaha. Viñales, porém, apertou o passo e avançou para a segunda colocação, diminuindo a vantagem de Franco para apenas 0s019.

Com pouco mais de 20 minutos para o fim da sessão, Álex Márquez caiu na curva 2. O espanhol, que tinha o oitavo tempo, não se feriu e ainda deu uma mão para os fiscais, recolhendo pedaços da carenagem da Honda antes de voltar para os boxes.

Na 11ª volta nesta manhã, Viñales aproveitou um par de pneus novos ― macio na frente e médio atrás ― foi a 1min49s866 e tomou a liderança de Morbidelli por 0s567. Logo depois, Quartararo melhorou para 1min50s413 e assumiu o segundo lugar, só 0s020 melhor que o companheiro de equipe, que caiu para terceiro.

Enquanto as Yamaha formavam uma trinca no topo da tabela, a KTM ocupava a quarta colocação, à frente da Honda de Takaaki Nakagami e da Suzuki de Joan Mir. A melhor Ducati era apenas a 12ª colocada, com Tito Rabat 1s956 mais lento que Viñales.

Faltando menos de dez minutos para o fim, Iker Lecuona foi ao chão na curva 2, mas assim como aconteceu com Álex Márquez mais cedo, o piloto da Tech3 escapou de lesões mais sérias.

Instantes mais tarde, Morbidelli caiu na curva 14. O piloto da SRT não se feriu com gravidade, mas a Yamaha percorreu alguns quilômetros antes de finalmente parar.

Instantes antes de cair, Morbidelli tinha baixado para 1min49s951 para reduzir para apenas 0s085 a margem de Viñales no topo da tabela.

Crutchlow, então, passou em 1min50s598 e assumiu o quinto posto, 0s732 atrás de Viñales. Rins era o sexto, seguido por Nakagami, Mir, Lecuona e Álex Márquez. Vencedor do GP da França, Danilo Petrucci era apenas o 18º, seguido por Andrea Dovizioso, Francesco Bagnaia e Jack Miller.

Já com a bandeira quadriculada tremulando no MotorLand, Álex Márquez foi a 1min50s176 e assumiu o quarto posto, à frente de Nakagami, Mir, Pol Espargaró e Cal Crutchlow.

Também no último momento, Quartararo caiu forte na curva 8. O francês mancou um pouco ao se levantar, mas no retorno ao paddock já caminhava sem maiores problemas.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Veja também:

Editor do L! aposta em espanhol para substituir Luxemburgo no Palmeiras

Grande Prêmio

  • separator
  • 0
  • comentários