fbpx

Revenda oficial ou loja? | Revista Carro

Revenda oficial ou loja?

Revenda oficial ou loja?

Comprar um carro novo é um sonho de consumo de quase todos os brasileiros. O interior cheirando a novo, a mecânica em ordem e, o melhor de tudo, a garantia de fábrica. Além das concessionárias, você já deve ter percebido que muitas lojas multimarcas também vendem 0 km. Qual é a diferença entre fechar o negócio em uma autorizada ou na loja? Veículos 0 km não são exclusividade das concessionárias? Qual é a procedência deles? Possuem garantia quando adquiridos nas multimarcas? Será que para o consumidor é a mesma coisa? Como ficam os serviços de pós-venda? Essas e várias outras perguntas podem vir à sua cabeça na hora da decisão. A Carro Online foi atrás das respostas e desvendou tudo para você.

Pode comprar sossegado

Segundo a Associação dos Revendedores de Veículos Automotores no Estado de São Paulo (Assovesp), 98% dos carros encontrados em agências multimarcas são oriundos de convênios que os lojistas mantêm com as concessionárias. Traduzindo: os modelos expostos nas lojas pertencem às concessionárias. Elas funcionam como intermediadoras da venda. Dessa forma, aquele cliente que gosta e confia em um determinado lojista tem a opção de comprar com ele.

Nesses casos, o processo de venda é o mesmo realizado quando um interessado compra um veículo na concessionária. Os documentos indicarão o comprador como primeiro dono e ele terá direito a todos os benefícios. “A garantia é de fábrica e não da concessionária. Isso não muda. O preço também quase sempre será o mesmo. Como se trata de uma intermediação, muitos vendedores optam por não colocar a comissão em cima do valor do carro. A não ser nos 2% restantes, em que o lojista realmente compra o carro da concessionária para revender no seu estabelecimento.

Jogo de vaidades

Na hora da pesquisa de preços, é provável que os dois lados tentem influenciá-lo a fechar negócio com eles. Dessa forma, você ouvirá as mais diversas histórias para explicar a procedência e a formação dos preços. Na concessionária o vendedor certamente falará que os carros das lojas são de segunda mão, recuperados de acidentes e por aí vai. Uma lenda bem comum é alegar que o veículo caiu da cegonha, o caminhão que transporta os automóveis. Os funcionários da loja, por sua vez, falarão que a comissão da concessionária é enorme, que você estará pagando juros abusivos etc. Não caia nessa: lembre-se que a procedência do carro é a mesma.

O pulo do gato

Ser o intermediador não é mau negócio para o lojista multimarca. Na transação, ele não ganhará o valor do carro novo, porém, é ele quem ficará com seu usado (dado como parte do pagamento) para revender no futuro. Eis o pulo do gato: é aquisição de material de trabalho para o estabelecimento. Ele deixa de ganhar dinheiro na venda do 0 km para pegar um usado bem conservado.

Dá para escolher a configuração?

Sim. Porém, nesse caso, a venda na multimarca pode demorar um pouco mais, uma vez que o lojista nem sempre tem à pronta-entrega igual à da concessionária e terá de encomendar o veículo. Essa demora não costuma ser grande, apenas alguns dias a mais do que na concessionária.

Que vantagem você leva?

Se é tudo igual, porque comprar numa loja e não na concessionária? Aqui fica a dica de sempre: procure pelo melhor negócio. Ambos fazem promoções para atrair o consumidor, como IPVA grátis, licenciamento pago, CD player de presente e por aí vai. O que não muda para o comprador também é a possibilidade de financiamento. Isso é feito por meio de instituições financeiras e não pela agência. Fique atento, portanto, às taxas de juros e aos valores de parcelas.

Use a seu favor

Use essa especulação dos vendedores a seu favor, conseguindo desconto ou mais benefícios na hora da compra. A diferença de preços pode chegar a 10% mesmo em um 0 km. Hoje, os consumidores são bem orientados pelos órgãos de comunicação. Por isso, ele já sabe o que quer e pode procurar a melhor oferta.

Posts Relacionados: