fbpx

Esportes radicais na Nova Zelândia

Esportes radicais na Nova Zelândia

Esportes radicais na Nova Zelândia

Atualizado em 23 de dezembro de 2017

A Nova Zelândia é especializada em esportes radicais. Eu fui visitar o país por causa das belezas naturais que já tinham me fascinado em toda a saga do Senhor dos Anéis, mas confesso que me surpreendi com a estrutura que o país tem para os esportes radicais.

Tudo aquilo que você pensou em fazer de radical e até coisas que acreditava nem existirem, pode ter certeza que a Nova Zelândia tem para te oferecer.

A Ilha Sul é a mais famosa, principalmente por causa de Queenstown que recebe o título de capital dos esportes radicais, mas se você for só para a Ilha Norte, não precisa se preocupar porque também não faltam opções por lá.

Se você for visitar as duas ilhas e estiver com o orçamento limitado, vou te dar umas dicas de quais esportes fazer em cada lugar. Eu acabei pagando mais caro, porque na minha primeira visita ao país, eu amarelei em quase tudo. Aí quando voltei, não sei o que aconteceu, mas mesmo em pânico, eu consegui saltar de paraquedas e de bungy. Realmente inexplicável, mas parece que a Nova Zelândia te dá uma coragem extra.

Ilha Norte

Skydive

Se você pensa em saltar de paraquedas e bungy, vale a pena fazer o salto de paraquedas em Taupo. Taupo é uma cidade bonita, você salta em cima do parque Tangariro, tem vistas lindas do lago e salta em muita segurança. Todos meus amigos saltaram lá. Os vídeos deles ficaram super legais e todos disseram que a equipe do Freefall é super profissional. O que você vai pagar em Taupo por um salto de 15.000 pés, é o que pagaria por um salto de 9.000 pés em Queenstown, por exemplo. Na época que eu fui, o pacote do salto 15.000 pés +dvd custava NZD 499. Mas como estávamos com o Kiwi Experience, tinha um desconto e ficava por NZD 449.

Se você estiver em dúvida de qual salto fazer, eu te digo – faça o maior de todos. Pular com 15 segundos de queda livre não vale a pena. Quando você estiver começando a sentir o prazer do salto, ele já terá acabado. Escolha o salto de queda livre de 1 minuto.

Veja mais informações sobre os saltos e os pacotes no próprio site do Freefall.

* Eu pulei no Lake Wanaka na Ilha Sul. A região é linda, amei muito, mas paguei mais caro do que o pessoal pagou em Taupo. Paguei NZD 659 com o desconto do Kiwi Experience.

Rafting

Você pode fazer o Black Rafting em Waitomo Caves. Eu fiz e senti mais medo no rafting do que no meu salto de paraquedas (sem brincadeiras). Esse rafting é dentro da caverna, tudo escuro, em várias partes você pula sem nem saber onde está pulando, mas é tudo extremamente seguro. Os caras sabem o que eles estão fazendo.

Também tem a opção do White Rafting em River Valley. Esse é o rafting tradicional. Eu não fiz, mas todos meus amigos fizeram e adoraram.

Ilha Sul

Bungy 

Se você quer fazer bungee jumping, faça em Queenstown. Lá você pode escolher diversas pontes, tem ponte para cada estilo e bolso. Eu fiz o mais básico e o mais baixo de todos, o da Kawarau Bridge. Você pode escolher se vai querer encostar na água ou não.  E se quiser, também pode saltar em dupla. Não vou negar, dá medo. Eu estava em pânico e no meu caso, foi o primeiro e último salto.

Nevis

Para os corajosos, não tem nem o que pensar. Vá direto para o Nevis. São 134 metros de pura adrenalina. Meus amigos pularam do Nevis e eu fui com eles no bondinho e assisti o pulo. Fiquei com medo só de olhar. Tem gente que sobe e desiste, tem gente que demora vários minutos para pular. Definitivamente, é só para os muito corajosos.

Você pode conferir todos os tipos de bungy da Nova Zelândia direto no site do AJ Hackett. http://www.bungy.co.nz/activities#bungys

Canyon Swing

Bungy vira carrossel perto do Canyon Swing. Para quem curte muito, mas muito mesmo adrenalina, o Canyon Swing é o melhor de todos. Eu jamais teria coragem. Não consigo nem explicar. Acho melhor vocês verem o vídeo.

http://www.canyonswing.co.nz/

Alguns detalhes importantes:

– Nada é muito barato por lá, principalmente porque o dólar neozelandês anda bem valorizado.

– Eles cobram um extra por tudo – fotos, camisetas, vídeos. No caso do bungy, eu não quis pagar o valor das fotos (U$70).

– No salto de paraquedas, eles vão te dar a opção de pagar outra pessoa para saltar junto e fazer o teu vídeo ou a opção do teu instrutor saltar com uma câmera acoplada no braço dele. Eu paguei outra pessoa para pular comigo e me arrependi. Vi vídeos e fotos de quem saltou só com a câmera do instrutor e achei que não fez muita diferença. Só que lógico que dessa maneira, as fotos ficam mais focadas no seu rosto.

 

– Caso você desista, não tem devolução do dinheiro. Pelo menos no rafting que eu fiz em Waitomo não teve. Eu amarelei demais (tenho fobia com água) e não queria entrar na caverna de jeito nenhum. Os caras ficaram me acalmando, até que me convenceram a entrar, mas deixaram claro que se eu desistisse, não tinha retorno do dinheiro.

– É bom conferir se o seguro de viagem que você fez, cobre acidentes com esportes radicais. Conheci 2 caras que se machucaram no salto de paraquedas e o seguro não cobriu.

– Não espere um super treinamento antes do salto de paraquedas. Você assiste um vídeo de uns 5 minutos e antes de entrar no avião, eles reforçam a importância de levantar as pernas no momento da aterrisagem. Isso é muito importante. Tem gente que quebra a perna porque não escuta essa instrução.

No mais, divirta-se!!!