fbpx

Como viajar pela Nova Zelândia

Como viajar pela Nova Zelândia

Como viajar pela Nova Zelândia

Atualizado em 23 de dezembro de 2017

A Nova Zelândia é formada por 2 ilhas – a norte e a sul. Você pode atravessar as ilhas das seguintes maneiras: ferry ou avião.

Então, a primeira coisa que você tem que decidir é se vai visitar as duas ilhas. Caso, a resposta seja sim e seu vôo chegue por Auckland, é melhor começar pela ilha norte e terminar na sul, pegando o vôo de retorno em Christchurch. Ou vice-versa. Mas, só dessa maneira (entrando por um aeroporto e saindo por outro) é que se consegue economizar uma travessia de ferry. Como viajar pela Nova Zelândia 1 – Alugar um carro, van ou motor-home É a maneira que te dá mais liberdade. Você escolhe o roteiro, onde vai parar, onde vai dormir, onde vai comer e etc. Existem várias empresas na Nova Zelândia que alugam carros na ilha norte e você pode devolver na ilha sul. A maneira mais popular é alugar van ou motor-home para dormir dentro do carro. Porém, não dá para estacionar o carro e dormir no meio da rua. Tem que procurar as estruturas de camping e pagar para dormir por lá. De qualquer maneira, já adianto que os hostels também não são muito baratos na Nova Zelândia, então dá elas por elas. A Nova Zelândia é super preparada para esse tipo de turismo. Mesmo nos lugares mais remotos, sempre tem um ponto de camping e vale lembrar que é muito seguro acampar ou dormir no carro por lá. Outra coisa – não precisa ter carteira de motorista especial para alugar essas vans, serve a carteira internacional na categoria carros. Para quem vai ficar bastante tempo viajando pelo país, vale a pena comprar um carro usado. Tem muito mochileiro que faz isso e depois vende o carro no final da viagem. E, para quem está com uma folga e não tem que estar determinado dia em determinado lugar, vale a pena conferir se existe alguma empresa oferecendo serviços de recolocação do veículo. Funciona assim, você aluga o carro por preços baixíssimos ou até de graça e vai dirigindo o carro até a cidade que a empresa precisa. 2 – Ônibus entre cidades Existem algumas linhas de ônibus que percorrem ambas as ilhas. As mais famosas são o Naked Bus e Intercity. Pesquisando com bastante antecedência, acha-se passagens por 1 dólar no Naked Bus. O Intercity oferece alguns passes para quem pretende fazer várias viagens nas ilhas. Nesse caso, o ônibus te deixa nas rodoviárias (na verdade não existe rodoviária, ele vai te deixar em algum ponto central da cidade) e aí você se vira para arranjar acomodação e o que fazer em cada destino. Para os mochileiros viajando sozinhos, esse é o jeito mais barato. 3 – Ônibus hop-on hop-off Não chega a ser excursão, porque você tem 1 ano para usar o passe que escolheu e pode descer em qualquer parada e pegar o próximo ônibus quando quiser. A única regra é que você não pode pegar o mesmo circuito duas vezes. Exemplo – você foi de Christchurch para Queenstown pela costa oeste, você não pode repetir esse trecho. Funciona quase da mesma maneira que uma passagem de volta ao mundo. Mas, funciona bem porque os roteiros já são pré-determinados e é tudo tão organizado que você não precisa se preocupar com nada. Sua única preocupação será se divertir. Basicamente existem 3 empresas de hop-on hop-off, são elas:

  • Kiwi Experience – é a maior, mais famosa e às vezes a mais cara. Os ônibus em sua maioria são mais modernos (durante todo o tempo que viajei pelas ilhas, apenas 1 ônibus quebrou) e os motoristas tem todo o espírito da Nova Zelândia – muita adrenalina. A grande maioria deles já pulou de bungy, pára-quedas e já fez tudo que a Nova Zelândia tem a oferecer, então eles sabem te recomendar o que tem de melhor. Eles conhecem muito das ilhas e dá para contar nos dedos, os motoristas que não são legais. Eu tive muita sorte com os meus. Um mais legal que o outro. Bom é que além de motorista, eles são guias. Público – jovem, bem jovem, grande maioria da Inglaterra.
  • Stray Travel – utilizam um micro-ônibus, os grupos são menores e eles fazem propaganda dizendo que oferecem mais coisas grátis. De fato oferecem, porém tem vários dias que você passa mais de 12 horas dentro do ônibus. Os horários de pick-up deles é quase sempre 06:30 hs da manhã, ou seja, é bem puxado. Além disso, eles vivem mudando os dias de saídas dos ônibus, então é um pouco estressante viajar com eles, porque nem sempre é garantido que você vai conseguir estar no ônibus determinado dia. Público – eles dizem que gira na faixa dos 25-30 anos, mas pelo que vi nas paradas que encontramos o pessoal desse ônibus, é quase igual ao do Kiwi Experience. Outra coisa, eles se denominam um ônibus para aventureiros, pois oferecem várias caminhadas grátis.
  • Magic Bus – é o que tem os ônibus mais velhos. Todo mundo que eu conheci que viajou com eles, teve experiência com ônibus quebrados. Aparentemente é o ônibus preferido dos asiáticos.

O roteiro dos 3 é quase sempre igual. Minha dica – escolha o que estiver com o passe mais barato. Se todos estiverem o mesmo preço e você tiver um espiríto jovem, escolha o Kiwi Experience. 4) Carona Para quem é destemido, está com tempo e sem muito dinheiro, essa é a melhor maneira de viajar por lá. A Nova Zelândia é um país tranquilo e muitos turistas rodam as ilhas o ano inteiro com seus carros alugados. Basta ter sorte de encontrar gente disposta a te dar uma carona. É o jeito mais barato com certeza.  A NZ é um país extremamente preparado para o turismo (acho que o mais preparado que vi até hoje). Tudo funciona. Se você parar no meio do nada para usar um banheiro público, esse banheiro estará limpo e terá papel higiênico e em 95% das vezes será de graça. As estradas não tem buracos e também não tem pedágios. Porém, o risco de bater o carro é grande, porque as paisagens são tão bonitas que pode ser que você se distraia enquanto dirige.