fbpx

Cidade italiana de Bergamo fará homenagem às vítimas da Covid

Cidade italiana de Bergamo fará homenagem às vítimas da Covid

Cidade italiana de Bergamo fará homenagem às vítimas da Covid

A cidade de Bergamo, na Itália, que virou um dos símbolos da tragédia humanitária causada pelo coronavírus (Sars-CoV-2), fará uma homenagem às vítimas da doença neste domingo (28).

Imagens dos caminhões militares aguardando para transportar os corpos das vítimas da Covid 19 chocaram italianos Imagens dos caminhões militares aguardando para transportar os corpos das vítimas da Covid-19 chocaram italianos Foto: ANSA / Ansa – Brasil

saiba mais

O cemitério da capital da província homônima contará com a presença da orquestra e do coral Donizetti Opera que, usando máscaras e respeitando o distanciamento social, executarão um réquiem composto no local. Participarão da cerimônia o presidente da Itália, Sergio Mattarella, e os prefeitos das 324 cidades que fazem parte da província.

Bergamo ficou mundialmente famosa após uma foto com caminhões militares aguardando por corpos das vítimas da Covid-19 ter sido divulgada. O volume de vítimas era tão grande que não havia mais espaço no crematório e no cemitério local para os enterros.

Com a homenagem de hoje, a província quer dar um adeus formal a tantas pessoas que não puderam ter um funeral. No entanto, os familiares não poderão ir até o cemitério porque seriam tantas pessoas que seria impossível garantir que não houvesse aglomeração no local.

Os moradores serão representados, simbolicamente, pelos músicos – que também viveram na pele a dor da perda de entes queridos.

Esse é o caso de Ezio Rovetta, que toca trompa, e que lembrará de seu pai, Teodoro, de 94 anos, e de sua irmã, Letizia, 59 anos, que faleceram pelo coronavírus. O próprio artista também contraiu a doença e foi internado com sua irmã. Foi a última vez que se viram, ao entrar no hospital em 13 de março.

Caso semelhante do diretor da orquestra, Riccardo Frizza, que contraiu a Covid-19 junto com toda a sua família. “Nós tivemos sorte porque foi uma forma leve, mas a ansiedade, a preocupação, nos invadiu. Em nível emocional, foi o período mais difícil da minha vida”, explicou. A província de Bergamo é uma das mais atingidas da Itália durante a pandemia, sendo a quarta mais afetada no país.

Diversas análises divulgadas pelo Instituto de Estatística Italiano (Istat), mostram que Bergamo teve alta no número de mortes de até 568% em março, pico da crise, quando comparado com o mesmo período entre 2015 e 2019 – e que a expectativa de vida na localidade pode cair entre cinco e seis anos por conta da Covid-19.

Veja também:

K-pop: como os fãs de música sul-coreana influenciaram a política

Ansa   Brasil   

  • separator
  • 0
  • comentários