fbpx

Prefeitura do Rio antecipa para sábado reabertura do comércio de rua

Prefeitura do Rio antecipa para sábado reabertura do comércio de rua

Prefeitura do Rio antecipa para sábado reabertura do comércio de rua

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decidiu nesta sexta-feira antecipar para sábado a reabertura do comércio de rua, de salões de beleza e de barbearias na cidade, que originalmente só poderiam voltar a funcionar no princípio de julho.

saiba mais

Vendedora higieniza mão de cliente em loja de mercado popular do Rio de Janeiro 17/06/2020 REUTERS/Pilar Olivares Vendedora higieniza mão de cliente em loja de mercado popular do Rio de Janeiro 17/06/2020 REUTERS/Pilar Olivares Foto: Reuters

Crivella disse que a curva de casos da Covid-19 na cidade permite uma antecipação do cronograma de flexibilização das medidas de isolamento. Segundo o plano da prefeitura, as lojas de rua vão abrir antes da abertura dos shoppings centers e fechar antes do fechamentos dos centros comerciais para não sobrecarregar o sistema de transportes e não gerar aglomerações.

“O comércio abre amanhã às 11h da manhã para não coincidir com o horário dos shoppings, que abrem ao meio-dia, e as lojas fecham às 17h, antes do shopping, que fecham às 20h, para não haver aglomerações nos transportes públicos”, disse o prefeito a jornalistas.

Na prática, concentrações de pessoas nunca foram evitadas no transporte público da capital fluminense desde o início das medidas de flexibilização do isolamento, seja pela falta de fiscalização seja pela escassez de ônibus circulando na cidade.

Os estabelecimentos autorizados a funcionar terão que cumprir regras de limpeza, asseio e ventilação, além de oferecerem álcool gel e exigirem o uso de máscaras. O comércio de rua só poderá operar com um terço da capacidade.

Na semana que vem, a prefeitura do Rio também vai promover a reabertura de bares, restaurantes e academias, no âmbito da terceira fase do programa de retomada das atividades na cidade.

“O Rio começou a reabertura há cerca de um mês e as curvas, diferentemente do que profetizavam ou agouravam, que haveria um caos, as curvas se mantiveram em descendência”, disse Crivella.

A reabertura das atividades na cidade foi planejada para ser feita de forma gradual e em seis fases. Atualmente, a capital fluminense está na segunda fase, e a progressão para a fase 3 está programada para ocorrer em 2 de julho.

Apesar das medidas, o Rio continua a registrar novos casos e mortes por Covid-19. Nesta sexta feira, o Estado contabilizou mais 137 mortes e 2.600 casos da doença. Agora, o Rio de Janeiro tem 108.497 mil casos e 9.587 mortes por Covid-19.

A capital concentra a maiorias de casos e óbitos: 55.152 e 6.264.

Enquanto a cidade do Rio de Janeiro antecipa a retomada das atividades, outra grande capital, Belo Horizonte, decidiu recuar nas medidas de afrouxamento e, a partir de segunda-feira, o comércio voltará a fechar as portas. A prefeitura anunciou que apenas as atividades essenciais poderão funcionar.

A medida foi tomada cerca de um mês depois da reabertura, à medida que os casos de Covid-19 dispararam na capital mineira e a taxa de ocupação dos hospitais atingiu cerca de 90%.

“Estamos em guerra… o bombardeio chegou à nossa cidade e vamos ter que contorná-lo”, afirmou a jornalistas o prefeito Alexandre Kalil.

Veja também:

Bolsonaro já admitiu que Wassef era seu advogado

Reuters Reuters – Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

  • separator
  • 0
  • comentários