fbpx

Governador do DF fecha mais uma vez Esplanada dos Ministérios no domingo

Governador do DF fecha mais uma vez Esplanada dos Ministérios no domingo

Governador do DF fecha mais uma vez Esplanada dos Ministérios no domingo

O governo do Distrito Federal decidiu fechar pela terceira vez a Esplanada dos Ministérios neste domingo (21). O novo bloqueio repete a estratégia que vem sendo adotada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para conter aglomerações durante a pandemia da covid-19 e impedir manifestações antidemocráticas de apoiadores do governo Jair Bolsonaro, com ameaças a instituições.

saiba mais

Há uma semana, o governo de Brasília removeu um acampamento do grupo bolsonarista autointitulado “300 do Brasil”, que estava há mais de um mês acampado na Esplanada e promovia bandeiras de viés autoritário. Durante a operação de desmontagem, o governador foi insultado, assim como policiais militares. Horas depois da remoção, integrantes do grupo tentaram invadir o Congresso Nacional e arremessaram fogos de artifício contra a sede do Supremo.

O grupo inclui extremistas como Sara Giromini, que adota a alcunha Sara Winter. Ela é ex-assessora de confiança da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e foi presa pela Polícia Federal no inquérito que apura ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal.

Durante a semana, o governador voltou a proibir a circulação na Esplanada por causa de novas ameaças, desta vez ao bispo Marcony Ferreira e à Catedral de Brasília, onde o grupo fora desautorizado a se instalar pelo sacerdote.

Ao Estadão, Ibaneis já havia antecipado que pretendia continuar barrando o acesso às sedes de órgãos e à Praça dos Três Poderes. Congresso, Supremo e Planalto estão cercados por grades. “Não vou admitir baderna na minha cidade”, afirmou o governador, na última quarta-feira.

O bloqueio valerá a partir das 23h59 deste sábado (20). A interdição vale durante todo o domingo. O trânsito de veículos ficará vetado na Esplanada a partir da Rodoviária. Os automóveis também não poderão acessar a via S2, entre o prédio do Anexo 4 da Câmara dos Deputados e a Procuradoria-Geral da República. O controle será feito pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran), Polícia Militar e Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Veja também:

Bolsonaro já admitiu que Wassef era seu advogado

Estadão

  • separator
  • 0
  • comentários